sexta-feira, 13 de maio de 2011

Elvismania!

“Alguém já disse que numa época em que poderosos equipamentos transformam um inofensivo coaxar de um sapo num pomposo coral de Bach, ouvir música ao puro e original som dos anos de 1950 é uma experiência inesquecível.” (Marcelo Eduardo Lemos Costa.) Então, vamos ouvir o som de Elvis? Façamos melhor: vamos ler sobre Elvis?

VintageGuide

VintageGuide

Desde cedo, Elvis já chamava atenção pelo seu jeito de se vestir, seus colegas de colégio já diziam: “Elvis era muito diferente da gente.” De fato, era mesmo. Elvis usava cabelo mais comprido, costeletas enormes (que mais tarde seriam febre entre os jovens), tinha um jeito caipira, usava roupas berrantes, brilhantes, camisas em cetim preto, rosa que ele geralmente adquiria em lojas para negros em Memphis, local para onde se mudara logo cedo (na verdade, ele nasceu em East Tupelo, no Mississippi). Elvis usava costelestas por um único motivo: “Eu tinha uma cara muito de garoto, queria parecer mais velho, com jeito de motorista de caminhão, assim, um tipo durão, sabe?” A verdade é que Elvis tinha uma identidade própria, que embora tenha criado “sem querer” funcionou bastante. Era seu jeito de expressar  suas referências em um mundo que aparentemente ainda não tinha visto nada parecido. O rei do rock era uma mistura que a princípio era esquisita, depois ficava bastante agradável. E foi essa mistura que inovou. Elvis usava roupas de cetim com franjas, estrelas, casacos coloridos. E o estilo se refletia no som. Era uma mistura de caipira, country, gospel, blues rural, black. Sim, Elvis gostava de muitas coisas.

VintageGuide

VintageGuideVintageGuide

VintageGuide

Elvis Presley  frequentava a igreja da Assembleia de Deus desde criança e sempre se encantava com as músicas cantadas nas celebrações, certo dia no colégio a professora ao pedir algum voluntário para rezar, teve uma resposta: Elvis canta Old Sheep, comove a senhora que o leva a uma feira de talentos onde ele vence e consegue dinheiro para comprar seu primeiro violão. O tio se encarregaria de ensiná-lo todos os acordes que mais tarde seriam mostrados por acaso em uma gravadora (a Sun Records) e logo depois Elvis teria uma carreira de sucesso administrada pelo Coronel Tom Parker. O som de Elvis Presley era uma mistura de Hillbilly ( pelo jeito caipira), rock n’roll e outras influências, que mais tarde teria um nome: rockabilly. Ele fazia uma dança esquisita ao se apresentar, que virou polêmica na época e lhe rendeu o apelido de “Elvis, The Pelvis.” 

VintageGuide

VintageGuide

Dicas de Leituras sobre Elvis:

VintageGuide

1- Elvis- Mito e Realidade;

2- Elvis Presley e a Revolução do Rock;

3- Elvis Presley por ele mesmo (Livro- Clipping).

Elvis Inspirations:

VintageGuideVintageGuide

VintageGuideVintageGuide

VintageGuide

VintageGuide

VintageGuide

The Style of music – Elvis:

VintageGuide

Música LUZ do dia:

5 comentários:

A. Banks disse...

Adorei ;D Ainda mais com a Marilyn Monroe ;D

Joicy Muniz disse...

Elvis é LUZ! *_*

Aspectho disse...

Você lembra do filme que passava quase todo ano na globo Elvis e Eu??? Eu amo esse filme!
Bjus, Aspectho
http://www.lojaaspectho.com.br/

Aspectho disse...

Estamos fazendo o sorteio de uma Marc Jacobs inspired em nosso blog e pro sorteio acontecer o nosso twitter tem q completar 2.500 seguidores. Então ajuda a gente a conseguir seguidores e participa do sorteio!
Bjus, Aspectho
@Aspectho
http://www.lojaaspectho.com.br/

Nath Cobain disse...

Adorei bem legal :D
Adoro essa coisa toda!

Beijos
http://modamakeuperock.blogspot.com